medicine

Annita

Laboratório: Farmoquímica

Princípio ativo: Nitazoxanida

Bula

Annita®
nitazoxanida
Forma farmacêutica e apresentação
Pó para suspensão oral - Embalagem contendo pó para 45 ml ou 100 ml, após
reconstituição.
Comprimido revestido - Embalagem contendo 6 ou 14 comprimidos revestidos.
USO ADULTO E PEDIATRICO
USO ORAL
Composição
Cada comprimido revestido contém:
nitazoxanida.................................................................................................. 500 mg;
excipientes q.s.p...................................................................1 comprimido revestido.
(amido, amido pré-gelatinizado hipromelose, sacarose, amidoglicolato de sódio,
água, talco, estearato de magnésio, ácido metacrílico , eudracolor amarelo, álcool
isopropílico, trietilcitrato e acetona).
Cada ml de suspensão reconstituída contém:
nitazoxanida.....................................................................................................20 mg;
excipientes q.s.p...................................................................................................1 ml
(benzoato de sódio, sacarose, goma xantana, celulose microcristalina, ácido
cítrico, citrato de sódio diidratado, corante vermelho nº 33, e aroma de morango)
INFORMAÇÕES AO PACIENTE
Como este medicamento funciona?
Annita® age contra vermes por meio da inibição de uma enzima indispens ável à
vida do parasita. O mesmo parece ocorrer em relação aos protozoários, embora
outros mecanismos ainda não totalmente esclarecidos possam estar envolvidos. A
ação sobre vírus se dá através da inibição da síntese da estrutura viral,
bloqueando a habilidade do vírus de se multiplicar. O tempo médio de ação do
medicamento está estimado entre duas a quatro horas após a sua administração.
Por que este medicamento foi indicado?
Gastroenterites virais - Annita® é indicado no tratamento das gastroenterites virais
causadas por Rotavírus e Norovírus.
Helmintíases – Annita® é um anti-helmíntico efetivo contra nematódeos,
cestódeos e trematódeos, indicado no tratamento de
Enterobius vermiculares,
Ascaris lumbricoides
,
Strongyloides stercolaris
, Ancilostomíase,
Trichuris trichiura,
Taenia sp, Hymenolepis nana
.
Amebíases – Annita® é indicado no tratamento da diarréia causada por
amebíases intestinais agudas ou disenteria amebiana causada pelo complexo
Entamoeba histolytica/dispar
.
Giardíases - Annita® é indicado no tratamento da diarréia causada por
Giardia
lamblia
ou
Giardia intestinalis.
Criptosporidíase – Annita® é indicado no tratamento da diarréia causada por
Crysptosporidium parvum
Annita® é também indicado no tratamento
do Blastocistis hominis, Balantidium coli
e Isospora belli
Quando não devo usar este medicamento?
Contra-indicações
Annita® não deve ser administrado nas situações a seguir:
A forma farmacêutica comprimido revestido é contra-indicada para crianças
com onze anos ou mais jovens.
Annita®
não deve ser utilizado por pacientes com diabetes, doença
hepática ou doença renal.
Hipersensibilidade e/ou alergia a qualquer um dos componentes da fórmula.
Advertências
As seguintes medidas de higiene são recomendadas no combate às parasitoses
Lavar bem as frutas e verduras e cozinhá-las bem.
Lavar bem os utensílios domésticos.
Manter os alimentos e depósitos de água cobertos.
Manter as mãos sempre limpas e as unhas cortadas, evitar levá-las a boca
e lavá-las antes das refeições e após ir ao banheiro.
Utilizar água tratada, filtrada ou fervida e não beber água em recipientes
impróprios.
Manter local adequado para depósito de fezes humanas ou de animais
(fossas e latrinas), evacuar em local apropriado (vaso sanitário) e manter
as instalações sanitárias limpas.
Não utilizar fezes humanas como adubo.
Não comer carne suína e/ou bovina crua ou mal cozida.
Não adquirir carne de procedência duvidosa (comprar em estabelecimentos
comerciais idôneos, que recebem carnes de criadouros ou frigoríficos
regularizados e inspecionados periodicamente).
Não andar com os pés descalços
Precauções
O uso de Annita® com anticoagulantes do tipo cumarínicos como a varfarina e
com o anticonvulsivante fenitoína deve ser avaliado com cautela.
Interações medicamentosas
Não existem interações com o citocromo CYP 450, não havendo, portanto, contra-
indicação de uso concomitante com outros medicamentos. Observar o item
Precauções
em relação à administração com anticoagulantes e anticonvulsivantes.
Atenção: este medicamento contém açúcar, portanto, deve ser usado com
cautela em portadores de diabetes.
Informe seu médico do aparecimento de reações indesejáveis.
Informe seu médico se você está fazendo uso de algum outro medicamento.
Não use medicamento sem o conhecimento de seu médico. Pode ser
perigoso para a sua saúde.
Como devo usar este medicamento?
Annita® deve ser administrado com alimentos, o que garante uma elevada
absorção do medicamento.
Aspecto físico
Comprimidos: oblongos, de cor amarelo-claro
Pó para suspensão oral: cristalino, amarelo
Características organolépticas
Comprimidos: odor característico
Pó para suspensão or al: odor ligeiramente ácido.
Posologia
Suspensão oral
Indicação
Idade
Dosagem
Duração
Gastroenterites virais
causadas por Rotavírus e
Norovírus
Crianças acima
de 12 meses
(1 ano)
0,375 ml (7,5 mg)
por Kg - 2 vezes
por dia (a cada 12
horas)
3 dias
consecutivos
Helmintíases, amebíase,
giardíase, isosporíase,
balantidíase, blastocistose.
Crianças acima
de 12 meses
(1 ano)
0,375 ml (7,5 mg)
por kg, 2 vezes por
dia (a cada 12
horas)
3 dias
consecutivos
Criptosporidíase em
pacientes sem
imunodepressão.
Crianças acima
de 12 meses
(1 ano)
0,375 ml (7,5 mg)
por kg, 2 vezes por
dia (a cada 12
horas)
3 dias
consecutivos
Criptosporidíase em
pacientes imunodeprimidos,
se a contagem de CD
4
for
superior a 50 céls/mm3.
Crianças acima
de 12 meses
(1 ano)
7,5 mg por kg, 2
vezes por dia (a
cada 12 horas)
14 dias
consecutivos
Criptosporidíase em
pacientes imunodeprimidos,
se a contagem de CD
4
for
inferior a 50 céls/mm3.
Crianças acima
de 12 meses
(1 ano)
7,5 mg por kg, 2
vezes por dia (a
cada 12 horas)
Deve-se manter
a medicação
por, no mínimo,
8 semanas ou
até a resolução
dos sintomas e
negativação dos
oocistos.
Comprimido revestido
Indicação
Idade
Dosagem
Duração
Gastroenterites virais
causadas por Rotavírus e
Norovírus
Crianças acima
de 12 anos e
adultos
1 comprimido (500
mg), 2 vezes ao dia
(a cada 12 horas)
3 dias
consecutivos
Helmintíases, amebíase,
giardíase, isosporíase,
balantidíase, blastocistose
Crianças acima
de 12 anos e
adultos
1 comprimido (500
mg), 2 vezes por
dia (a cada 12
horas)
3 dias
consecutivos
Criptosporidíase em
pacientes sem
imunodepressão.
Crianças acima
de 12 anos e
adultos
1 comprimido (500
mg), 2 vezes por
dia (a cada 12
horas)
3 dias
consecutivos
Criptosporidíase em
pacientes imunodeprimidos,
se a contagem de CD
4
for
superior a 50 céls/mm3.
Crianças acima
de 12 anos e
adultos
500 a 1000 mg, 2
vezes por dia
(a cada 12 horas)
14 dias
consecutivos
Criptosporidíase em
pacientes imunodeprimidos,
se a contagem de CD
4
for
inferior a 50 céls/mm3.
Crianças acima
de 12 anos e
adultos
500 a 1000 mg, 2
vezes por dia
(a cada 12 horas)
Deve-se manter
a medicação
por, no mínimo,
8 semanas ou
até a resolução
dos sintomas e
negativação dos
oocistos.
Modo de preparo
Suspensão oral
Prepare a suspensão imediatamente antes de ingeri-la pela primeira vez,
conforme instrução abaixo:
1 – Agite vigorosamente o frasco ainda fechado, para soltar o pó do fundo.
2 – Adicione água fervida ou filtrada, até a marcação indicada no rótulo.
3 – Coloque o adaptador para seringa no frasco.
4 – Tampe o frasco e agite vigorosamente para obtenção de uma suspensão homogênea. Se
necessário, adicione novamente água filtrada, até a marcação indicada no rótulo e agite para
homogeneizar.
5 – O volume da suspensão deve ser medido com a seringa. Ajuste a seringa no orifício da tampa
interna do frasco, vire-o de cabeça para baixo e puxe o êmbolo até o volume prescrito por seu
médico.
6 – A suspensão pode ser administrada diretamente da seringa à boca ou, se desejado, pode ser
transferida para a colher antes da administração.
Após o uso, lave a seringa em água corrente e guarde-a para a próxima dosagem.
A suspensão pode ser guardada por 7 dias após seu preparo. Qualquer
quantidade não utilizada deve ser descartada após esse período.
Antes de cada administração a suspensão deve ser bem agitada.
Este medicamento não pode ser partido ou mastigado.
Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses
e a duração do tratamento.
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu médico.
Não use o medicamento com o prazo de validade vencido. Antes de
usar,observe o aspecto do medicamento.
Que males este medicamento pode causar?
As reações adversas mais comumente relatadas (em cerca de 8% dos pacientes)
ocorrem no trato gastrointestinal. Particularmente náuseas, algumas vezes
acompanhadas de dor de cabeça, diminuição ou perda do apetite, ocasionalmente
vômitos, mal estar abdominal inespecífico e dor abdominal tipo cólica.
Annita® pode produzir alteração da cor dos fluidos fisiológicos (Ex: urina,
esperma) para amarelo esverdeado, sem qualquer significado clínico. Isto se deve
à coloração de alguns dos componentes da fórmula. Se a cor alterada persistir
após o término do uso do medicamento, procure o médico
.
ATENÇÃO: ESTE É UM MEDICAMENTO NOVO E, EMBORA AS PESQUISAS
TENHAM INDICADO EFICÁCIA E SEGURANÇA ACEITÁVEIS PARA
COMERCIALIZAÇÃO, EFEITOS INDESEJÁVEIS E NÃO CONHECIDOS PODEM
OCORRER. NESTE CASO, INFORME SEU MÉDICO.
O que fazer se alguém usar uma grande quantidade deste medicamento de
uma só vez?
As manifestações são locais, no aparelho digestivo. Recomenda-se proceder com
lavagem gástrica e administrar hidróxido de alumínio com magnésio.
Onde e como devo guardar este medicamento?
Cuidados de conservação
Annita® deve ser conservado em sua embalagem original. Em temperatura
ambiente (entre 15°C e 30°C) e lugar seco.
Após reconstituição, a suspensão oral deve ser mantida firmemente fechada.
Prazo de validade
Comprimido revestido
24 meses após a data de fabricação impressa no cartucho.
Pó para suspensão oral
24 meses após a data de fabricação impressa no cartucho.
Annita
®
, suspensão oral, deve ser consumido em até sete dias após
reconstituição.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS
CRIANÇAS
INFORMAÇÕES TÉCNICAS AOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE
Características farmacológicas
Farmacodinâmica
Após administração oral em humanos, a nitazoxanida é rapidamente hidrolisada
em seu metabólito ativo, a tizoxanida (diacetil-nitazoxanida). A nitazoxanida e seu
metabólito são facilmente reduzidos pela enzima pir uvato-ferrodoxina
oxidoredutase a partir de parasitas por transferência de elétrons. Esta forma
reduzida da nitazoxanida priva os parasitas de suas energias e assim os erradica.
Sabe-se que um dos mecanismos de ação da nitazoxanida é a ação inibitória
direta da enzima piruvato ferredoxina oxidoredutase (PFOR). A ação sobre vírus
deve-se à inibição da síntese da estrutura viral chamada de proteína 7 em sua
interação com a célula, bloqueando a habilidade do vírus em se multiplicar. É
possível que outros mecanismos ainda não esclarecidos sejam responsáveis por
sua ação sobre vírus.
O modo de ação da nitazoxanida contra os helmintos ocorre através da inibição da
polimerização da tubulina no parasita. A atividade antiprotozoária de Annita®
(nitazoxanida) deve-se à interferência na enzima pir uvato-ferredoxina-
oxidoredutase (PFOR), bloqueando a transferência de elétrons. Este mecanismo
de ação é muito peculiar e dificulta o desenvolvimento de resistência.
A
interferência com a reação de transferência de elétrons enzima piruvato-
ferredoxina-oxidoredutase dependente pode não ser a única via pela qual a
nitazoxanida exibe a atividade anti-protozoária.
Farmacocinética
Após a administração oral, a nitazoxanida
é rapidamente absorvida no trato
intestinal e totalmente hidrolizada em um metabólito ativo, a tizoxanida, que é
então conjugada (glucoronídeo tizoxanida), atingindo picos de concentração
plasmática em 1 a 4 horas. A tizoxanida é excretada de forma inalterada pela
urina nas 24 horas seguintes, e não é detectada no plasma. A excreção também
ocorre através da bile e das fezes. Mais de 99% da tizoxanida estão ligados a
proteínas plasmáticas.
Estudos
in vitro
demonstraram que a tizoxanida não possui efeito inibitório
significativo sobre as enzimas do citocromo P450.
A farmacocinética da nitazoxanida não foi estudada em pacientes pediátricos
menores que um ano de idade, assim como em pacientes com deficiência
hepática e ou função renal.
Resultados de eficácia
Um estudo
1
multicêntrico aberto incluiu 546 pac ientes com coproscopia positiva
para as mais variadas parasitoses intestinais. As doses de nitazoxanida utilizadas
foram: 500 mg, por via oral, duas vezes ao dia, por três dias consecutivos para
adultos; 5ml (100 mg), de 12 em 12 horas para crianças de um a três anos e 10 ml
(200 mg), de 12 em 12 horas, para crianças de quatro a 11 anos. As taxas de
erradicação foram:
Enterobius vermicularis
- 95%,
Ascaris lumbricoides
- 95%,
Ancylostoma duodenale
- 96%,
Trichuris trichiura
- 86% e
Strongyloides stercoralis
- 94%. A tolerabilidade foi considerada boa, com 14,5% de eventos adversos leves
(náuseas, cefaléia, vertigem, vômito, dor abdominal e diarréia).
Cabello
et al.
2
avaliaram a eficácia da nitazoxanida no tratamento de infestações
helmínticas (7,5 mg/kg, de 12 em 12 horas, por três dias) e observou taxas de cura
de até 100% para ascaridíase e isosporíase e de 78% e 80% para trichuríase e
enterobíase, respectivamente.
Um estudo de Ross ignol & Maisonneuve
3
avaliou a eficácia da nitazoxanida em
pacientes portadores de
Taenia saginata
e
Hymenolepis nana
. Foram estudados
22 pacientes infestados com
T.saginata
, que receberam 30mg/kg de nitazoxanida.
Os autores encontraram um índice de cura de 95% com seguimento clínico por um
período de 90 dias. Ainda neste estudo, em 18 pacientes infestados por
H.nana
, a
eficácia foi de 90%, para a dose de 50 mg/kg de nitazoxanida. A tolerabilidade foi
considerada boa, com apenas três pacientes apresentando eventos adversos
leves (náusea, dor epigástrica e diarréia).
Rossignol
et al
4
demonstraram
a eficácia da nitazoxanida para o tratamento da
diarréia causada por
C parvum
em uma população imunocompetente. Um curso
de três dias de tratamento reduziu a duração da diarréia e da excreção de
oocistos. A eficácia e a segurança foram relatadas em crianças, adolescentes e
adultos. Os eventos adversos relatados foram semelhantes àqueles do grupo
placebo.
Em um estudo
5
multicêntrico, Rossignol avaliou a eficácia e a segurança da
nitazoxanida em 365 pacientes a partir de três anos de idade com síndrome de
imunodeficiência adquirida e criptosporidíase, que receberam doses de 500 a
1500 mg de nitazoxanida, duas vezes por dia. A duração do tratamento foi, em
média, de 62 dias. Observou-se resposta clínica mantida durante o tratamento em
59% dos casos. Não foram registrados eventos adversos graves.
Em outro estudo
6
prospectivo, randomizado, duplo- cego e placebo controlado, foi
avaliada a eficácia e a tolerabilidade da nitazoxanida comparada ao placebo para
tratar diarréias causadas por
Giardia intestinalis
e
Entamoeba histolytica/dispar
.
Foram analisadas 725 amostras de fezes, de 91 pacientes entre 12 e 65 anos, que
fizeram uso da nitazoxanida na dose de 500 mg, de 12 em 12 horas, por três dias
consecutivos. Observou-se uma eficácia geral de 81% contra 40% do grupo
placebo para ambas as verminoses (p < 0,0002).
Um estudo
7
conduzido por Diaz
et al
. revelou taxa de cura de 97% para os
pacientes portadores de blastocistose em crianças de dois a 14 anos de idade.
Em uma coorte
1
de pacientes no Egito foi identificada a presença de
Balantidium
coli
nas fezes em 13 casos, cuja erradicação da infecção foi de 77%.
Em estudo randomizado
8
, duplo-cego, controlado por placebo, envolvendo 50
crianças com idade entre cinco meses e sete anos, Rossignol
et al
avaliaram a
eficácia e segurança da nitazoxanida na gastroenterite por Rotavírus. A dose de
7,5 mg/kg, duas vezes ao dia por três dias mostrou-se segura e mais eficaz que o
placebo na redução da duração da diarréia (31h vs 75h, respectivamente).
Em outro estudo randomizado
9
, duplo-cego, controlado por placebo, envolvendo
50 adultos e crianças acima de 12 anos, Rossignol & El-Gohary avaliaram a
eficácia e segurança da nitazoxanida nas gastroenterites virais, incluindo as
causadas por Rotavírus e Norovírus. A dose de 500 mg, duas vezes ao dia por
três dias mostrou-se segura e mais eficaz que o placebo na redução da duração
da diarréia.
1
Abaza H.
et al
. Nitazoxanide in the treatment of patients with intestinal protozoan and helminthic
infections: a report on 546 patients in Egypt. Curr. Ther. Res, 59:116–121,1998.
2
Cabello R R.
et al
. Nitazoxanide for the treatment of intestinal protozoan and helminthic infections
in Mexico. Trans. R. Soc. Trop. Med. Hyg. 91:701–703, 1997.
3
Rossignol JF; Maisonneuve H. Nitazoxanide in the treatment of
Taenia saginata
and
Hymenolepis
nana
. Am J Trop Med Hyg; 33: 511-512, 1984.
4
Rossignol JF; Ayoub A; Ayers MS. Treatment of diarrhea caused by Cryptosporidium parvum: a
prospective randomized, double-blind,placebo-controlled study of nitazoxanide. J Infect Dis; 184:
103-106, 2001.
5
Rossignol JF. Nitazoxanide in the treatment of acquired immune deficiency syndrome-related
cryptosporidiosis: results of the United States compassionate use program in 365 patients.
Aliment
Pharmacol Ther; 24:887-894, 2006.
6
Rossignol JF; Ayoub A; Ayers MS. Treatment of diarrhea caused by
Giardia intestinalis
and
Entamoeba histolytica
or
E. dispar
: a randomized, double-blind, placebo-controlled study of
nitazoxanide. J Infect Dis; 184: 381-384, 2001.
7
Diaz E; Mondragon J; Ramirez E; Bernal R. Epidemiology and control of intestinal parasites with
nitazoxanide in children in México. Am J Trop Med Hyg; 68:384-385, 2003.
8
Rossignol JF
et al
. Effect of nitazoxanide for treatment of severe
Rotavirus
diarrhoea: randomised
double-blind placebo-controlled trial.The Lancet; 368:124-129, 2006.
9
Rossignol JF; El-Gohary YM. Nitazoxanide in the treatment of viral gastroenteritis: a randomized
double-blind placebo-controlled clinical trial. Aliment Pharmacol Ther; 24:1423–1430, 2006.
Indicações
Gastroenterites virais - Annita® é indicado no tratamento das gastroenterites virais
causadas por Rotavírus e Norovírus.
Helmintíases – Annita® é um anti-helmíntico efetivo contra nematódeos,
cestódeos e trematódeos, indicado no tratamento de
Enterobius vermiculares,
Ascaris lumbricoides
,
Strongyloides stercolaris
, Ancilostomíase,
Trichuris trichiura,
Taenia sp, Hymenolepis nana
.
Amebíases – Annita® é indicado no tratamento da diarréia causada por
amebíases intestinais agudas ou disenteria amebiana causada pelo complexo
Entamoeba histolytica/dispar
.
Giardíases - Annita® é indicado no tratamento da diarréia causada por
Giardia
lamblia
ou
Giardia intestinalis.
Criptosporidíase – Annita® é indicado no tratamento da diarréia causada por
Crysptosporidium parvum
Annita® é também indicado no tratamento
do Blastocistis hominis, Balantidium coli
e Isospora belli
Contra-indicações
A forma farmacêutica comprimido revestido não deve ser administrada em
crianças de zero a 11 anos.
Diabetes, doença hepática ou doença renal.
Pacientes com história de hipersensibilidade e/ou alergia à nitazoxanida ou
aos componentes da fórmula.
Modo de usar e cuidados de conservação depois de aberto
Annita® deve ser administrado com alimentos, o que garante uma elevada
absorção do medicamento.
Modo de preparo
Prepare a suspensão imediatamente antes de ingerí-la pela primeira vez,
conforme instrução abaixo:
1 – Agite vigorosamente o frasco ainda fechado, para soltar o pó do fundo.
2 – Adicione água fervida ou filtrada, até a marcação indicada no rótulo.
3 – Coloque o adaptador para seringa no frasco.
4 – Tampe o frasco e agite vigorosamente para obtenção de uma suspensão homogênea. Se
necessário, adicione novamente água filtrada, até a marcação indicada no rótulo e agite para
homogeneizar.
5 – O volume da suspensão deve ser medido com a seringa. Ajuste a seringa no orifício da tampa
interna do frasco, vire-o de cabeça para baixo e puxe o êmbolo até o volume prescrito por seu
médico.
6 – A suspensão pode ser administrada diretamente da seringa à boca ou, se desejado, pode ser
transferida para a colher antes da administração.
Após o uso, a seringa deve ser lavada com água corrente e guardada para a
próxima dosagem.
A suspensão pode ser guardada por sete dias após seu preparo. Qualquer
quantidade não utilizada deve ser descartada após esse período.
Antes de cada administração a suspensão deve ser bem agitada.
Aspecto físico
Comprimidos: oblongos, de cor amarelo-claro
Pó para suspensão oral: cristalino, amarelo
Características organolépticas
Comprimidos: odor característico
Pó para suspensão or al: odor ligeiramente ácido.
Posologia
Suspensão oral
Indicação
Idade
Dosagem
Duração
Gastroenterites virais
causadas por Rotavírus e
Norovírus
Crianças acima
de 12 meses (1
ano)
0,375 ml (7,5 mg)
por Kg - 2 vezes
por dia (a cada 12
horas)
3 dias
consecutivos
Helmintíases, amebíase,
giardíase, isosporíase,
balantidíase, blastocistose.
Crianças acima
de 12 meses (1
ano)
0,375 ml (7,5 mg)
por kg, 2 vezes por
dia (a cada 12
horas)
3 dias
consecutivos
Criptosporidíase em
pacientes sem
imunodepressão.
Crianças acima
de 12 meses (1
ano)
0,375 ml (7,5 mg)
por kg, 2 vezes por
dia (a cada 12
horas)
3 dias
consecutivos
Criptosporidías em
pacientes imunodeprimidos,
se a contagem de CD
4
for
superior a 50 céls/mm3.
Crianças acima
de 12 meses (1
ano)
7,5 mg por kg, 2
vezes por dia (a
cada 12 horas)
14 dias
consecutivos
Criptosporidíase em
pacientes imunodeprimidos,
Crianças acima
de 12 meses (1
7,5 mg por kg, 2
vezes por dia (a
deve-se manter
a medicação
se a contagem de CD
4
for
inferior a 50 céls/mm3.
ano)
cada 12 horas) por, no mínimo,
8 semanas ou
até a resolução
dos sintomas e
negativação dos
oocistos
Comprimido revestido
Indicação
Idade
Dosagem
Duração
Gastroenterites virais
causadas por Rotavírus e
Norovírus.
Crianças acima
de 12 anos e
adultos
1 comprimido (500
mg), 2 vezes ao dia
(a cada 12 horas)
3 dias
consecutivos
Helmintíases, amebíase,
giardíase, isosporíase,
balantidíase, blastocistose.
Crianças acima
de 12 anos e
adultos
1 comprimido (500
mg), 2 vezes por
dia (a cada 12
horas)
3 dias
consecutivos
Criptosporidíase em
pacientes
sem
imunodepressão.
Crianças acima
de 12 anos e
adultos
1 comprimido (500
mg), 2 vezes por
dia (a cada 12
horas)
3 dias
consecutivos
Criptosporidíase em
pacientes imunodeprimidos,
se a contagem de CD
4
for
superior a 50 céls/mm3.
Crianças acima
de 12 anos e
adultos
500 a 1000 mg, 2
vezes por dia (a
cada 12 horas)
14 dias
consecutivos
Criptosporidíase em
pacientes imunodeprimidos,
se a contagem de CD
4
for
inferior a 50 céls/mm3.
Crianças acima
de 12 anos e
adultos
500 a 1000 mg, 2
vezes por dia (a
cada 12 horas)
Deve-se manter
a medicação
por, no mínimo,
8 semanas ou
até a resolução
dos sintomas e
negativação dos
oocistos.
Advertências
O uso de Annita® com anticoagulantes do tipo cumarínicos como a
varfarina e com o anticonvulsivante fenitoína deve ser avaliado com cautela.
Annita® pode produzir alteração da cor dos fluidos fisiológicos (ex: urina,
esperma) para amarelo esverdeado, sem qualquer significado clínico. Isto
se deve à coloração de alguns dos componentes da fórmula. Se a cor
alterada persistir após o término do uso do medicamento, procure o médico
.
Atenção: este medicamento contém açúcar, portanto, deve ser usado com
cautela em portadores de diabetes.
Uso em idosos, crianças e outros grupos de risco
Não há estudos com pacientes acima de 65 anos. Ao se prescrever Annita®
deve-se considerar a capacidade renal, hepática e cardíaca, a presença de outras
doenças e a utilização concomitante de outras drogas.
Interações medicamentosas
O uso de Annita® com anticoagulantes cumarínicos como a varfarina e com o
anticonvulsivante fenitoína deve ser avaliado com cautela.
Não existem interações com o citocromo CYP 450, não havendo, portanto, contra-
indicação de uso concomitante com outros medicamentos.
Reações adversas
Gastrointestinal
Muito comum: mal estar abdominal inespec ífico e dor abdominal tipo cólica.
Incomum: vômitos e diarréia
Rara: constipação, flatulência e náuseas, dispepsia
Glandular
Comum: Hiperidrose
Nervoso
Incomum: cefaléia
Rara: insônia, desmaios, tremores
Metabólico/Nutricional
Muito comum: alterações de apetite (diminuição ou perda)
Rara: aumento do apetite
Imunológico
Rara: aumento do apetite
Reprodutor
Rara: metrorragia, amenorréia
Geral
Rara: dor nas costas, câimbra nas pernas, mialgia, dor de ouvido, febre, calafrios
Renal e urinário
Rara: doença renal, disúria, descoloração da urina
Cardiovascular
Rara: hipertensão, taquicardia
Dermatológico
Rara: prurido da pele e
rash
cutâneo
ATENÇÃO: ESTE É UM MEDICAMENTO NOVO E, EMBORA AS PESQUISAS
TENHAM INDICADO EFICÁCIA E SEGURANÇA ACEITÁVEIS PARA
COMERCIALIZAÇÃO, EFEITOS INDESEJÁVEIS E NÃO CONHECIDOS PODEM
OCORRER. NESTE CASO, INFORME SEU MÉDICO.
Superdosagem
As manifestações são locais, no aparelho digestivo. Pode-se proceder à lavagem
gástrica e administrar hidróxido de alumínio com magnésio.
Armazenagem
Annita® deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C), em
sua embalagem original. Proteger da umidade.
Após reconstituição, a suspensão oral deve ser mantida firmemente fechada.
Annita
®
, suspensão oral, deve ser consumido em até sete dias após
reconstituição.
Após reconstituição, a suspensão oral deve ser mantida firmemente fechada.
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
Número do lote, data de fabricação e prazo de validade: vide cartucho
MS: 1.0390.0173
Farm. Resp.: Dra. Marcia Weiss I. Campos – CRF-RJ n° 4499
Fabricado por:
FARMOQUIMICA S/A
Rua Viúva Claudio n° 300 – Rio de Janeiro – RJ
Indústria Brasileira
CNPJ: 33.349.473/0003-10
SAC 0800 25 01 10