medicine

Aciclovir

Laboratório: Merck

Princípio ativo: Aciclovir

Forma Farmacêutica

AspirinaÒ é apresentada na forma de comprimidos com 500 mg de ácido acetilsalicílico em
embalagens de 20, 24, 96, 100, 160, 200 e 240 comprimidos.
USO ORAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO (ACIMA DE 12 ANOS)

Composição

Cada comprimido contém 500 mg de ácido acetilsalicílico.
Componentes inertes: amido e celulose.

Indicações (ao Paciente)

AspirinaÒ está indicada para:
· o alívio de dores de intensidade leve a moderada, como dor de cabeça, dor de dente, dor
de garganta, dor menstrual, dor muscular, dor nas articulações, dor nas costas, dor da
artrite e - o alívio sintomático da dor e da febre nos resfriados ou gripes.

Reações Adversas

Reações
Como qualquer medicamento, AspirinaÒ pode provocar efeitos indesejáveis:
Efeitos comuns: dor de estômago e sangramento gastrintestinal leve (micro-hemorragias).
Efeitos ocasionais: náuseas, vômitos e diarréia.
Casos raros: podem ocorrer sangramentos e úlceras do estômago, reações alérgicas em que
aparece dificuldade para respirar e reações na pele, principalmente em pacientes asmáticos e
anemia após uso prolongado, devida a sangramento oculto no estômago ou intestino.
Casos isolados podem ocorrer alterações da função do fígado e dos rins, queda do nível de
açúcar no sangue e reações cutâneas graves.
Doses baixas de ácido acetilsalicílico reduzem a excreção de ácido úrico e isso pode
desencadear ataque de gota em pacientes susceptíveis.
O uso prolongado pode causar distúrbios do sistema nervoso central, como dores de cabeça,
tonturas, zumbidos, alterações da visão, sonolência ou anemia devida a deficiência de ferro.
Se ocorrer qualquer uma dessas reações indesejáveis ou ao primeiro sinal de alergia, deve-se
parar de tomar Aspirina®. Informe o médico, que decidirá quais medidas devem ser adotadas.
Se notar fezes pretas, informe o médico imediatamente, pois é sinal de séria hemorragia no
estômago.

Informações Técnicas (ao Médico)

1. CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS
O ácido acetilsalicílico pertence ao grupo de fármacos antiinflamatórios não-esteróides, com
propriedades analgésicas, antipiréticas e antiinflamatórias. Seu mecanismo de ação baseia-se
na inibição irreversível da enzima ciclooxigenase, envolvida na síntese das prostaglandinas.
O ácido acetilsalicílico é usado em doses orais de 0,3 a 1 g para o alívio da dor e nas afecções
febris menores, tais como resfriados e gripes, para redução da temperatura e alívio das dores
musculares e das articulações.
Também é usado nos distúrbios inflamatórios agudos e crônicos, tais como artrite reumatóide,
osteoartrite e espondilite anquilosante. Nessas afecções usam-se em geral doses altas, no total
de 4 a 8 g diários, em doses divididas.
O ácido acetilsalicílico também inibe a agregação plaquetária, bloqueando a síntese do
tromboxano A2 nas plaquetas. Por esta razão, é usado em várias indicações relativas ao
sistema vascular, geralmente em doses diárias de 75 a 300 mg.
PROPRIEDADES FARMACOCINÉTICAS
Após a administração oral, o ácido acetilsalicílico é rápida e completamente absorvido pelo
trato gastrintestinal. Durante e após a absorção, o ácido acetilsalicílico é convertido em ácido
salicílico, seu principal metabólito ativo. Os níveis plasmáticos máximos de ácido acetilsalicílico
são atingidos após 10 a 20 minutos e os de ácido salicílico após 0,3 a 2 horas.
Tanto o ácido acetilsalicílico como o ácido salicílico ligam-se amplamente às proteínas
plasmáticas e são rapidamente distribuídos a todas as partes do organismo. O ácido salicílico
aparece no leite materno e atravessa a placenta.
O ácido salicílico é eliminado principalmente por metabolismo hepático; os metabólitos incluem
o ácido salicilúrico, o glicuronídeo salicilfenólico, o glicuronídeo salicilacílico, o ácido gentísico e
o ácido gentisúrico.
A cinética da eliminação do ácido salicílico depende da dose, uma vez que o metabolismo é
limitado pela capacidade das enzimas hepáticas. Desse modo, a meia-vida de eliminação varia

de 2 a 3 horas após doses baixas, até cerca de 15 horas com doses altas. O ácido salicílico e
seus metabólitos são excretados principalmente por via renal.
DADOS DE SEGURANÇA PRÉ-CLÍNICOS
O perfil de segurança pré-clínico do ácido acetilsalicílico está bem documentado. Nos testes
com animais, os salicilatos causaram dano renal, mas não causaram outras lesões orgânicas.
O ácido acetilsalicílico foi adequadamente testado quanto à mutagenicidade e
carcinogenicidade; não foi observado nenhum indício relevante de potencial mutagênico ou
carcinogênico.
2. RESULTADOS DE EFICÁCIA
O ácido acetilsalicílico vem sendo usado como analgésico e antipirético por centenas de
milhares de pessoas desde a sua descoberta há mais de cem anos. A despeito da sua idade, o
ácido acetilsalicílico ainda é o padrão para comparação e avaliação de novas substâncias e
uma das drogas mais amplamente estudadas.
Consequentemente, não é possível listar todas as pesquisas que provam sua eficácia clínica.
As indicações incluem alívio sintomático de dores lês a moderadas, como cefaléia, dor de
dente, dor de garganta relacionada resfriados, dor nas costas, dores musculares e nas juntas;
dismenorréia e também febre em resfriados comuns.

Contra-Indicações

Não tome AspirinaÒ se:
· for ser alérgico ao ácido acetilsalicílico ou a salicilatos ou a qualquer dos ingredientes do
medicamento Se não tiver certeza de ser alérgico ao ácido acetilsalicílico, consulte o seu
médico;

· tiver tendência para sangramentos;
· tiver úlceras do estômago ou do intestino;
· já tenha tido crise de asma induzida pela administração de salicilatos ou outras substâncias
semelhantes;
· estiver em tratamento com metotrexato em doses iguais ou superiores a 15 mg por
semana;
· estiver no último trimestre de gravidez.

Posologia

Aspecto físico
AspirinaÒ é um comprimido redondo e branco.
Características organolépticas
AspirinaÒ é um comprimido com leve cheiro característico.
Dosagem
Adultos: recomendam-se 1 a 2 comprimidos, se necessário repetidos a cada 4 a 8 horas.
Não se deve tomar mais de 8 comprimidos por dia.
Crianças a partir de 12 anos: 1 comprimido, se necessário repetido a cada 4 a 8 horas. Não se
deve administrar mais de 3 comprimidos por dia.
Em pacientes com mau funcionamento do fígado ou dos rins, as doses devem ser diminuídas
ou o intervalo entre elas aumentado.
Como usar
Os comprimidos de AspirinaÒ devem ser tomados com líquido, se possível após a ingestão de
alimentos.
Não tome AspirinaÒ com o estômago vazio.

Uso em idosos, crianças e outros grupos de risco

Não há necessidade de recomendações especiais para o uso do produto em idosos, crianças
ou pacientes de grupos de risco, desde que observadas as advertências, precauções e
posologia mencionadas acima.

Interações Medicamentosas

Uso de AspirinaÒ com outros medicamentos
Algumas substâncias podem ter o seu efeito alterado se tomadas com AspirinaÒ ou que
podem influenciar o seu efeito. Esses efeitos também podem ser relacionados com
medicamentos tomados recentemente.
AspirinaÒ aumenta:
· o efeito de medicamentos anticoagulantes (por ex. derivados de cumarina e heparina);
· o risco de hemorragia gastrintestinal se for tomada com álcool ou medicamentos que
contenham cortisona ou seus derivados;
· o efeito de certos medicamentos usados para baixar a taxa de açúcar no sangue
(sulfoniluréias);
· os efeitos desejados e indesejados do metotrexato;
· os níveis sangüíneos de digoxina, barbitúricos e lítio;
· os efeitos desejados e indesejados de um grupo particular de medicamentos
analgésicos/antiinflamatórios e anti-reumáticos (não-esteróides);

· o efeito de certos antibióticos (sulfonamidas e associações de sulfonamidas, por ex.
sulfametoxazol / trimetoprima);
· o efeito da triiodotironina, um medicamento para o tratamento do hipotireoidismo;
· o efeito do ácido valpróico, um medicamento usado no tratamento de epilepsia.
AspirinaÒ diminui a ação de:
· certos medicamentos que aumentam a excreção de urina (antagonistas de aldosterona e
diuréticos de alça);
· medicamentos para baixar a pressão arterial;
· medicamentos para o tratamento da gota, que aumentam a excreção de ácido úrico (por
ex. probenecida, sulfimpirazona).
Portanto, Aspirina® não deverá ser usada sem orientação médica com uma das substâncias
citadas acima.
Deve-se evitar tomar bebidas alcoólicas durante o uso de Aspirina®.
INFORME AO MÉDICO OU CIRURGIÃO-DENTISTA O APARECIMENTO DE REAÇÕES INDESEJÁVEIS, SE VOCÊ
ESTÁ FAZENDO USO DE ALGUM OUTRO MEDICAMENTO OU ESTIVER TOMANDO ASPIRINA® ANTES DE
QUALQUER CIRURGIA.

Superdosagem

Se alguém tomar uma dose muito grande, poderão ocorrer efeitos indesejáveis, como tontura e
zumbido, sobretudo em crianças e idosos. Esses sintomas podem indicar envenenamento
grave.
No caso de superdose, contate seu médico, que decidirá sobre as medidas necessárias de
acordo com a gravidade da intoxicação. Se possível, leve a embalagem com os comprimidos.